Planejamento na importação: passo a passo para gerar resultado

Planejamento de importação - capa

Realizar um planejamento na importação é essencial para aproveitar todo o potencial que o mercado externo proporciona. Entenda como criar uma estratégia, definir o que importação e analisar resultados.

As importações, muitas vezes, têm seu potencial deixado de lado em muitas empresas brasileiras.

O uso desestruturado desta ferramenta traz a falsa sensação de que ela não proporciona retorno, enquanto empresas que sabem como utilizar a importação saem na frente!

Elaboramos este conteúdo para você que quer sair na frente com um plano de importação eficiente!.

Acompanhe o passo a passo deste conteúdo, que vai te ensinar a realizar um planejamento de importação do início, passando por todos os pontos importantes e deixando sua estratégia de compras internacionais preparada para gerar resultados!

Por que realizar um planejamento

Além do fator comentado de explorar ao máximo o potencial dos mercados externos, criar um planejamento também pode te ajudar na sua rotina de profissional de importação. Com um plano elaborado fica muito mais simples executá-lo, otimizando seu tempo.

Um dos fatores-chave na hora de buscar planejamento está na previsibilidade, tanto da execução do plano quanto de resultados, já que é possível começar a realizar projeções de resultados.

Partindo destes fatores que vão facilitar sua rotina e aumentar seus resultados, separamos alguns tópicos que abrangem as etapas necessárias para a preparação de um plano eficiente.

Criando uma estratégia

Neste primeiro momento, antes de partir para a importação, é essencial que você construa as bases para sua estratégia.

Tenha em mente que seu plano vai ser moldado pelos seus objetivos que você definir neste primeiro momento.

Estabelecendo um caminho

Toda estratégia precisa de um norte, um caminho para qual seguir. E o planejamento na importação não seria diferente.

Um dos grandes erros que as empresas cometem ao utilizar esta ferramenta, está em não focar diretamente em um objetivo.

Assim, existe uma constante impressão de que nada dá resultados e, muitas vezes, uma visão oscilante que altera os objetivos das importações.

Para estabilizar esta busca por números satisfatórios, é necessário partir para o primeiro passo de um planejamento que é definir qual vai ser o foco das importações.

Não sabe dizer exatamente qual foco gostaria de adotar para sua estratégia? Sem problemas! Vamos listar alguns exemplos de abordagens possíveis para que você possa tirar alguns insights.

Alguns objetivos possíveis:

  • Redução de custo;
  • Melhoria da qualidade dos produtos;
  • Acesso a novas tecnologias;
  • Maior controle e flexibilidade das operações;
  • Diminuição de custos internos;
  • Aumento do portfólio de produtos;
  • Desenvolvimento de parcerias com fornecedores estratégicos.

Estes são tópicos que podem te ajudar a pensar na realidade da sua empresa e traçar seu principal foco. Esses objetivos variam muito de acordo com o ramo de atuação e não precisam ser estáticos.

Depois de um período utilizando sua estratégia, pode ser que ela não faça mais sentido para seu momento de empresa. Então é interessante voltar nesta primeira parte da estratégia para repensar as mudanças necessárias.

Empresas do segmento de alimento, por exemplo, utilizam a importação para, além de outros fatores, aumentar o portfólio de produtos para atendimento de nichos específicos.

Já empresas com alto grau de competitividade internacional acabam por levar suas produções para terceiros países.

Conhecer as necessidades do seu negócio facilita o processo de estabelecer qual direção as importações devem seguir.

Foco definido, qual o próximo passo?

Definindo de Indicadores de Performance

Neste passo é hora de colocar seus objetivos de uma maneira mais prática. A pergunta que você deve se fazer é: como medir se estou conseguindo alcançar meu objetivo?

É importante olhar para números que estejam diretamente relacionados à resposta para a questão relacionada ao seu foco.

Como exemplo você pode pensar que se o objetivo for melhorar a qualidade dos produtos, os indicadores de pós-venda poderão te guiar.

Já no caso de reduzir custos, é possível sempre comparar com as cotações atualizadas do mesmo produto no mercado interno.

Acompanhar estes números continuamente vai ser o que dita se sua estratégia está sendo bem-sucedida ou não, e fará toda diferença para que você manteha o estímulo para querer mais.

Depois de decidir esta parte primária, chegou a hora de passar para a segunda etapa deste processo de construção estratégica, já relacionada diretamente ao conteúdo.

Definindo o que importar

Agora que você já estabeleceu a base da sua estratégia, é possível começar a olhar para o que importar.

Além disso, quantidade e frequência de embarques também devem ser trabalhadas nesta etapa do processo.

 

Produtos a importar

Antes de passar para novas ideias de produto, você precisa ter em mente que, mesmo nas suas compras atuais há grande oportunidades de melhorias.

Pensando nisso, faça um levantamento da sua curva ABC ou dos produtos mais problemáticos. Tente entender onde está a sua maior dor e suas maiores demandas.

Olhe para a concorrência para saber o que vale a pena importar. Essa informação não é tão simples de ser levantadas, mas há empresas especializadas em relatórios estratégicos como a IBSolutions com a IBDATA.

Você também pode se inspirar nos produtos fora da curva ABC e que tenham valor agregado.

Pensando em novas possibilidades

Os principais produtos a serem importados foram identidicados, certo? Agora você pode pensar em novas oportunidades.

Exponha o planejamento da importação e demonstre o novo universo de oportunidades para outros departamentos da empresa. Você vai se surpreender com as ideias de novos produtos que podem surgir.

 

Quantidade e frequência de importação

A quantidade de embarques dependerá muito da demanda e recursos financeiros disponíveis. A busca pelo menor custo nem sempre será a melhor opção, pois poderá demandar um investimento alto nos produtos, impostos e custos logísticos.

Busque o lote econômico que é a quantidade que traz o melhor custo e benefício para a empresa.

Embarques com maior quantidade de produtos normalmente ajudam na redução de custo unitário, além de garantir a atendimento às altas de demanda. Por outro lado, aumentar a frequência de embarques pode facilitar a colocação de novos pedidos e a manutenção de estoques menores no Brasil.

Analisando resultados

A terceira etapa da elaboração de sua estratégia abrange o momento analítico do processo, para ajudar a entender o que foi bem-sucedido e o que pode ser ajustado em relação ao planejamento.

 

Revisitando seus números

Buscar os KPIs e realizar um acompanhamento do que você traçou na primeira etapa deste planejamento é uma das partes mais importantes deste processo. É justamente este olhar analítico que vai te ajudar a determinar o sucesso das suas ações.

Ademais, você deve realizar (e registrar) esta conferência dos dados a cada embarque ou etapa do projeto de importação. A forma escolhida não tem problema, desde que os números e métricas sejam avaliadas periodicamente.

Afinal, você pode intervir e pensar em formas de contornar resultados abaixo do esperado assim que eles surgirem.

Reajustando

Quando você tiver seus resultados em mãos, fica mais fácil ter uma clareza de onde seu planejamento não atingiu o esperado.

De maneira que, nesses casos, você pode voltar e entender em que parte da estratégia está localizada a fraqueza: foi na parte de planejamento? Seus KPIs estão fazendo sentido?

Portanto, revisite o tópico 1 e entenda como você pode corrigir esta situação. Agora, se o problema for diretamente ligado ao produto importado, você pode estudar novamente a concorrência ou explorar as outras oportunidades levantadas.

Não se preocupe se seu planejamento não for 100% eficiente em um primeiro momento!

Afinal, é normal que você tome um tempo para conhecer melhor seus números e realizar projeções de acordo com o tamanho dos seus perfis.

A estratégia não é estática

Agora que já passamos pelos principais tópicos da construção de um planejamento de importação, não se esqueça de utilizá-lo com frequência.

Ou seja, tenha em mente que sua estratégia deve sempre ser uma coisa orgânica. O ideal é que ela seja constantemente consultada e adaptada, na medida que for necessário.

Planejamento, execução e análise de dados são três etapas chave para uma construção sólida e efetiva. Isso vai te ajudar a tomar decisões menos baseadas em achismos e mais certeiras para entregar resultados reais!

Esperamos que este conteúdo tenha sido útil para sua estratégia! Não se esqueça de acompanhar nosso blog para se tornar um especialista em importação e exportação.

 

Questione, aja e conquiste.

 

Quer saber mais sobre importação e exportação ou de que forma podemos te ajudar? Entre em contato conosco.

 

 

1 Comentário

  1. IBSolutions disse:

    Caso queiram saber mais sobre o tema ou tenham alguma dúvida, favor entrar em contato pelo formulário acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat