Erros ao praticar o Comércio Exterior parte 3 IBSolutions

Como já abordado, na publicação Erros ao praticar o Comércio Exterior – parte 1 e parte 2, se o assunto é Comércio Exterior a falta de experiências e conhecimento sobre a área pode ser um problema. São comuns os erros na elaboração da carta de crédito, contratação do seguro e a realização de embarques sem autorização do fabricante ou distribuidor.

Não colocar na carta de crédito cláusula de pré embarque

A literatura de comércio internacional traz a carta de crédito como forma de pagamento mais seguro para o exportador e importador, porém essa pode ser uma armadilha. A operação de carta de crédito, de forma simplificada, é aquela onde um importador solicitada a um banco que lhe conceda um crédito e esse garantirá o pagamento da operação ao exportador, caso o importador não o cumpra. Para isso, basta o exportador apresentar ao Banco Emissor ou Confirmador os documentos de exportação sem discrepâncias.

Notem que o banco não tem acesso à mercadoria e se responsabiliza apenas pelo exame documental da operação. Sendo assim, o importador estará totalmente descoberto, caso o exportador apresente a documentação em boa ordem ao banco e embarque qualquer coisa, além do que foi negociado. Nessa situação, o banco fará o pagamento ao exportador e cobrará a divida do importador.

  • Recomendação IBSolutions

Em qualquer caso de operação com carta de crédito, recomendamos a contratação de uma inspeção pré-embarque que poderá ser realizada por empresa reconhecida internacionalmente ou por profissional liberal.

Não se atentar as exigências da carta de crédito e mesmo assim confirmá-la

É natural que exportadores se empolguem com suas vendas ao exterior. No momento do fechamento do pedido, caso haja a utilização de carta de crédito, o departamento comercial e administrativo de exportação deverão estar bem alinhados para que assumam compromisso que não poderão cumprir.

As exigências de uma carta de crédito vão desde a quantidade de documentos e descrição exata da mercadoria, até a proibição de embarques parciais.

  • Recomendação IBSolutions

Antes de confirmar uma carta de crédito, o exportador deverá fazer uma análise minuciosa junto aos seus profissionais e aos prestadores de serviço (despachante e/ou empresa de consultoria). Caso não estejam de acordo com alguma cláusula, solicite alteração imediata ao importador. mudanças posteriores à abertura da carta de crédito acarretarão custos e atrasos, além de possível mal-estar com seu cliente no exterior.

Confirmar uma carta de crédito negociada no exterior

Um dos pontos mais importantes em uma operação com carta de crédito é a data e local de apresentação da documentação original. Caso o local de confirmação seja um banco no exterior, o exportador poderão perder o controle da entrega dos documentos originais do embarque, ficando assim sujeito ao não cumprimento da carta de crédito e por consequência ao não recebimento do valor da operação.

  •  Recomendação IBSolutions

O exportador deverá sempre pedir a confirmação de crédito de um banco localizado em seu país. Lembrando que agências de um mesmo banco em países diferentes são considerados bancos distintos.

Embarcar sem cobertura do seguro

Por falta de conhecimento ou de planejamento, muitos exportadores e importadores embarcam suas mercadorias sem a cobertura de seguro internacional. Apesar de alguns elos da cadeia logística possuírem seguro (transportadora nacional, por exemplo), é essencial que a operação de compra e venda internacional esteja respaldada por seguro com cobertura porta a porta.

  • Recomendação IBSolutions

Sempre contratar seguro internacional, mesmo para pequenas importações. O custo do seguro é muito baixo perto dos riscos envolvidos na movimentação de qualquer carga internacional. Busque opções de seguradoras e contratação de seguro até mesmo por meio dos parceiros logísticos como agente de carga. Solicite sempre a apólice de seguro após o embarque.

Comprar produtos de marca sem autorização do fabricante ou distribuidor

A importação de qualquer produto que contenha marca comercial sem o consentimento do fabricante ou do real detentor da marca, poderá ser uma dor de cabeça para o importador. Não importa se estamos falando de produtos de marcas famosas ou não.

Apesar do controle de importação de produtos de marca não ser a preocupação principal da Receita Federal, essa poderá exigir documentos que comprovem o vínculo comercial entre o exportador e importador e caso identifique representante exclusivo no Brasil, poderá pedir a sua manifestação formal em caso de importação de produtos de sua representação.

  • Recomendação IBSolutions

Buscar negociar a importação diretamente com o fabricante ou distribuidor oficial. Desconfiar de empresas que se dizem representantes de marcas, sem que ofereçam documentos que comprovem o vínculo com o fabricante. Em muitos casos, uma simples consulta ao site oficial do fabricante poderá indicar quem são as empresas que as representam oficialmente.

.

Quer saber mais sobre importação e exportação ou de que forma podemos te ajudar? Entre em contato conosco.

.

Os comentários estão encerrados.