Setor agrícola: 5 dicas para alavancar seu projeto de importação

Capa - Projeto de importação

Setor agrícola: 5 dicas para alavancar seu projeto de importação

No nosso último artigo sobre o setor agrícola, apresentamos um pouco do histórico do setor no Brasil, e fizemos algumas previsões para o futuro.

A conclusão do artigo é a de que inegavelmente a demanda pelos agricultores só vai fazer aumentar em todo futuro visível.

Isso nos levou a apontar as razões pelas quais não só a exportação é uma excelente saída para diversificar mercados e aumentar a arrecadação, mas como a importação tem o potencial de diminuir significativamente os custos de insumos e até acrescentar competitividade com tecnologias exclusivas.

Porém, nosso leitor, sobretudo aquele não está habituado a ler nossos conteúdos, deve ter ficado sem rumo. Afinal, por onde eu começo? Quais produtos importar? Preciso importar no mínimo um container?

Assim, decidimos escrever dicas, do que fazer para alavancar seu projeto no setor agrícola, e adiantar diversas questões que vão surgir, e demandar decisões conscientes.

Que servem de apoio até para quem não está no setor.

Ficou afim de descobrir, então segue com a gente, para conhecer 5 dicas cruciais para seu projeto de importação.

1.    Como escolher os produtos

Antes de passar para novas ideias de produto, você precisa ter em mente que, mesmo nas suas compras atuais há grande oportunidades de melhorias.

Pensando nisso, faça um levantamento da sua curva ABC ou dos produtos mais problemáticos. A fim de entender onde está a sua maior dor e suas maiores demandas.

Simultaneamente, olhe para a concorrência para saber o que vale a pena importar. Ainda que essa informação não seja tão simples de ser levantada, há empresas especializadas em relatórios estratégicos como a IBSolutions com a IBDATA.

Você também pode se inspirar nos produtos fora da curva ABC e que tenham valor agregado.

Usualmente, produtos intermediários, cuja marca não agrega tanto valor ao produto, tendem a ser os que trazem melhores resultados.

Podemos citar itens que já falamos sobre em mais detalhes em nossa série “como importar” como peças de pulverizadores agrícolas, rolamentos e correias transportadoras.

Já realizamos diversos projetos destes produtos, que trouxeram muitas vantagens competitivas aos nossos clientes. Mas as oportunidades não se resumem a eles. Se um produto está na sua curva ABC, deve ser considerado.

Mas a única maneira de afirmar com certeza se o projeto é viável, é por meio de uma análise de viabilidade.

 

2.    Faça uma análise de viabilidade do seu projeto de importação agrícola

A maioria dos tópicos que vamos citar, são tão relevantes que temos posts  inteiros sobre eles, assim se tiver interesse em saber mais sobre análise de viabilidade, clique aqui.

Agora, vamos ao ponto.

Diariamente, recebemos dezenas de ligações de empreendedores com muita vontade de iniciar seus negócios, buscando um direcionamento quanto à importação.

Você, já inserido no setor agrícola, sai na frente. Pois sabe que tem um mercado enorme, e cá entre nós, trata-se de um dos mercados que mais temos encontrado oportunidades.

Posteriormente, a IBSolutions entra para auxiliá-los nesse processo. Traduzimos a ideia em termos de oportunidades, por meio da Análise de Viabilidade de Importação.

Portanto, damos forma ao projeto e mostramos qual caminho deve ser seguido.

Uma vez confirmada a viabilidade, o projeto torna-se negócio. É nessa etapa que se inicia o desenvolvimento de fornecedores para o seu produto.

Todo projeto que termina bem, começa bem, daí a importância dessa análise inicial.

Logo em seguida, fazemos os embarques pilotos de amostras. A Análise consiste em:

Principais pontos abordados

 

  • Detalhamento de NCM e impostos
  • Indicação de procedimentos da Receita federal e órgãos anuentes
  • Estudo da legislação aduaneira
  • Análise de custos de importação
  • Simulação de cenários de embarque (quantidade e variação da moeda)
  • Indicação de prazos

 

E, para que você visualize os resultados que pode obter, disponibilizamos alguns extratos do que você pode encontrar na sua análise.

Excerto 1 - AV Projeto de Importação

Mundo
Período USD FOB Peso Líquido (Kg) Preço US$/Kg Variação % FOB
2016           88.100.866,00               6.171.921 14,27
2017           98.404.992,00               7.305.145 13,47 11,70%
2018         103.278.421,00               7.277.002 14,19 4,95%
2019         117.679.306,00               8.343.118 14,10 13,94%
Média 101.865.896 7.274.297 14,00 10,20%

Excerto 2 - AV Projeto de importação

 

3.Faça um bom desenvolvimento de fornecedores

Acreditamos que a força da sua cadeia de suprimentos é tão forte quanto seu elo mais fraco. Assim, desenvolver boas parcerias com fornecedores é vital para o seu propósito.

Afinal, trata-se de um projeto de importação, e não apenas de sistematizações de embarque, ainda que estejam inclusos no pacote.

O primeiro ponto para uma negociação justa, é conhecer melhor quem está do outro lado da “mesa”.

Após as primeiras conversas com o fornecedor, é imprescindível buscar por um histórico, em sites, ou até mesmo ligar na empresa. Se o país permitir, acessar o Google Maps do endereço, analisar estrutura.

Contatar câmaras de comercio do país, ainda que leve um tempo maior, pode te garantir ao menos a existência deste fornecedor.

Pois contar com profissionais experientes é importante desde esta fase, seja no seu departamento ou buscando por soluções terceiras.

Afinal, ter informações sobre seu exportador é especialmente benéfico para próximas negociações.

4.Assegure todos os pontos da negociação do seu projeto de importação

No setor agrícola, mais do que qualquer outro, existe urgência nos prazos de entrega. A falta de insumos, mais do que causar prejuízos, pode fazer despencar sua produtividade, e prejudicar a qualidade do seu produto final.

Portanto, você não vai querer que nenhum imprevisto tome dias ou até semanas do seu prazo estipulado para abastecimento.

Dessa maneira, para um projeto bem estruturado, ou “redondinho” como dizemos, atente-se para os seguintes pontos:

Referência nacional: Em relação ao valor, é de suma importância que se tenha ao menos uma margem de preço de quanto este produto é vendido no mercado nacional. Primeiro para definir sua margem de lucro a ser negociada, e segundo, para saber qual a quantidade mínima viável para importação.

Comparação de cotações: Obviamente que diversos fatores podem intervir no valor das mercadorias no exterior: origem, moeda, embalagem, qualidade, tamanho do pedido, contato direto ou distribuidora, entre outros fatores.

Ainda, podemos estar sujeitos a golpes, ou de uma negociação de produtos com qualidades diferentes, e daí a importância do próximo ponto.

Conheça seu produto: Diferentes produtos requerem diferentes níveis de atenção às suas especificidades técnicas, por isso os detalhes são importantes e dizem muito sobre a composição do valor do item negociado.

Um item adicional em uma cotação pode significar seu diferencial ou o fim das negociações. Afinal, só é possível comparar produtos iguais em situações iguais.

Níveis de qualidade: O que acontece em diversos mercados, é que ainda que seja exatamente o mesmo produto, especialmente no caso de produtos chineses, é que eles podem ter diversos níveis de qualidade.

 

5.Analise e encontre seu lote econômico

Se você quer saber mais sobre lote econômico,  clique aqui.

Antes mesmo de desenvolver o fornecedor, uma estimativa grosseira deve ser estipulada para fins de cotação.

Mas depois da escolha dos fornecedores e homologação de amostra, é imprescindível que o lote econômico seja buscado com análises mais precisas.

Portanto, para encontrar o lote econômico, a questão inicial deve ser: qual a melhor operação que me trará a maior redução de custo, considerando minhas pré condições de importação.

 

            Demonstração de pré-condições

 

Veja uma demonstração de pré condições onde utilizaremos parafusos como exemplo:

  • Demanda anual:O primeiro fator a ser analisado, é o da demanda do produto, boas negociações de valor da mercadoria são apenas possíveis com demandas significativas. Importação de pequenas quantidades, sobretudo de produtos com baixo valor agregado, em geral são projetos pouquíssimo rentáveis. Nossa demanda anual será de 8.000.000 unidades de parafuso.
  • Preço unitário do fornecedor: O valor negociado com o fornecedor é obviamente tão relevante quanto a cadeia logística, um bom EXW significa maior probabilidade de redução contra o valor interno. Vamos supor que nosso fornecedor tenha oferecido USD 0,005 como base de preço unitário.
  • Investimento: Nosso setor financeiro nos afirmou que consegue aportar no máximo uma transação de USD 20.000 a cada três meses, por conta da recente escalada do dólar contra o real.
  • Reserva em estoque atual: O controle de estoque passa pelo momento atual, afinal, a boa programação de estoque nada mais é do que a expectativa de entrada, somada a quantidade atual em estoque. Vamos supor que a equipe de compras regulou bem o estoque e que agora possui dois meses de reserva, ou em torno de 1.600.000 unidades.
  • Reserva máxima no estoque: Com planejamento e organização, o estoque pode armazenar para esses parafusos um espaço para até 2.500.000 unidades, mais do que isso geraria problemas na armazenagem de outros materiais.
  • Valor interno de compra: Vamos supor que o valor interno de compra para esse mesmo parafuso seja de R$ 6,21 a cada centena.

Análise das variáveis no projeto de importação

De maneira geral elas vão servir como base para uma boa comparação no seu projeto de importação.

Evidentemente, diversos destes indicadores devem sofrer alteração durante a importação, que leva alguns meses, desde a produção até a entrega, como é o caso do valor interno de compra e a reserva em estoque.

De toda forma, ainda que estes indicadores devam ser acompanhados durante a operação, a análise inicial para a sequência do projeto é feita neles.

Em geral, essa análise é bastante segura, justamente porque boa parte dos mercados, sobretudo de itens como parafusos, porcas e rolamentos, são de importados.

Portanto, um dólar mais alto na sua importação acarretará num dólar mais alto ao distribuidor importador, que repassará esse valor sem nenhum aviso prévio.

Exemplo projetos de importação (viabilidade, valor adicional de quantidade)

Cada projeto tem sua cara própria

O escopo de um projeto até a coordenação de embarque é esse mesmo. Porém não existe uma fórmula exata que funcionará para todos projetos. Nós, mais do que ninguém adoraríamos utilizá-la se existisse.

Mas cada projeto apresenta oportunidades e dificuldades distintas.

Dessa maneira, só o conhecimento e o feedback de inúmeros processos permitem criar perícia para uma tomada de decisão eficiente e no tempo exato.

Assim você deve estar se perguntado, se todo esse conhecimento e a complexidade dos projetos vale a pena.

Afinal, sempre buscamos a simplificação, quanto menor o rol de ferramentas, e maior sua amplitude de uso, melhor.

Pois bem, estamos falando de projetos que geram, em média 30% de redução de custo, além de abrir portas para um controle de estoque e de tecnologias maior. No caso de projetos agrícolas, esse número sobe ainda mais.

Em casos excepcionais, já fechamos projetos de 60% de redução. Imagino que sejam pouquíssimas, se é que existem ferramentas que tragam esse retorno.

Sem contar que com um serviço especializado como o da nossa equipe, o trabalho da sua empresa é mínimo, fornecer os dados de análise, todos compilados em NFs.

E aí, já pensou em qual vai ser seu próximo projeto?

 

Questione, aja e conquiste.

 

Quer saber mais sobre importação e exportação ou de que forma podemos te ajudar? Entre em contato conosco.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat