Entenda como fazer um uso mais adequado dos recursos financeiros por meio da redução de custos com a importação.

Quase 100% das empresas brasileiras importam diretamente ou indiretamente, pois o Brasil não é autossuficiente em vários segmentos da economia. Entende-se por importação direta aquela realizada diretamente pela empresa importadora e a indireta quando essa mesma empresa compra de um fornecedor no mercado interno que anteriormente importou a mercadoria.

 

A importância da importação como uma estratégia na empresa

Os dados citados acima nos levam à seguinte questão: se quase todas as empresas importam direta ou indiretamente, não deveríamos dar uma importância maior à importação?

As empresas que pretendem seguir uma trajetória de crescimento por meio de vendas, precisam antes voltar os seus olhos para comprar melhor. É por essa razão que a importação tem se tornado imprescindível para as empresas.

Entretanto, para que os resultados com a importação sejam alcançados, a empresa por meio de sua direção tem que definir uma estratégia consistente.

Não são poucos os casos negativos com a importação com perdas de centenas de milhares de reais. Muito disso se deve à falta de conhecimento e de planejamento das empresas. Mas, esses são exceções e não a regra.

Como consequência temos empresas que ficam paralisadas quando o assunto é importação e gestores descontentes com as compras no mercado interno.

A ótima notícia é que algumas poucas ações na importação podem proporcionar resultados extraordinários para os objetivos das empresas.

 

Veja a seguir 5 maneiras de reduzir custos na empresa com a importação direta e alcançar os resultados esperados.

1. Otimize sua equipe

Um time de futebol normalmente é feito de vários atletas sendo os 11 titulares e mais os reservas. Cada um tem sua posição, função e habilidades. Como está seu time de importação? Com poucos ou muitos craques? Com várias pessoas jogando na mesma posição?

A palavra que melhor define uma equipe de importação é  equilíbrio. É necessário que dentro da equipe exista profissionais que entendam tanto de logística internacional, quanto de economia, finanças, tributário, fiscal, produção, desenvolvimento e por aí vai.

Encontrar um profissional que reúna essas característica não é fácil. E mesmo encontrando é preciso valorizá-lo para que não o perca para a concorrência.

Como opção à estrutura interna, podemos citar a terceirização do departamento de importação que pode trazer vários benefícios como:

  • Não vínculo empregatício;
  • Redução da folha salarial;
  • Atualização dos profissionais que estarão em contato com outros clientes e embarques;
  • Aquisição de conhecimento em outras áreas carentes na estrutura interna;
  • Acesso a novas ferramentas e ações de importação;
  • Melhor controle de resultados por meio da instituição de indicadores de performance.

 

Quer saber mais sobre a terceirização do departamento de importação? Entre em contato conosco.

 

2. Planeje a importação

Importar não é só colocar mercadoria em um contêiner e trazer para o Brasil. Até pode funcionar em alguns casos, mas na grande maioria não é bem assim que ocorre.

O ser humano tem a tendência de ir pelo caminho mais curto e que demanda menos energia e por isso é compreensível que os profissionais de importação e seus gestores muitas vezes pulem diretamente para a operação.

Temos vivenciado em muitos casos, novos clientes com suas primeiras importações, ansiosos para que a mercadoria embarque o quanto antes, sem ter o mínimo de preocupação com os requisitos básicos a serem cumpridos.

Como exemplo, podemos citar alguns tipos de planejamento na importação:

  • Planejamento de compras – quantidade de itens, frequência, tipo, necessidade de prazo de recebimento entre outros pontos;
  • Planejamento logístico – tipo de modal, estrutura de custo, quantidade mínima, segurança, movimentação, prazo e etc;
  • Planejamento financeiro – valores e momentos de pagamento, taxa da moeda estrangeira, fluxo financeiro do processo de importação…;
  • Planejamento tributário – crédito e débito de impostos, ICMS, isenção de impostos entre outros.

Quando bem planejada, a importação tende a ter uma execução mais tranquila. Entrentanto, é necessário que o profissional de importação saiba o que controlar e como controlar. Ficará sob sua responsabilidade a coordenação dos elos logísticos (todos os prestadores de serviço ao longo da cadeia logística), o fluxo de informação e documental, além da coordenação das atividades internas atreladas à importação.

Ao gestor caberá participar plenamente do planejamento, criar indicadores de performance como custo, prazo e discrepâncias, além de buscar uma melhoria contínua dos processos.

 

3. Controle os investimentos sendo realizados

A importação, como qualquer outra área da empresa, precisa ser monitorada para que o gestor entenda se está tendo o retorno desejado com o investimento que está sendo feito.

Mas a pergunta é a seguinte: o que monitorar? Como saber se o profissional está dando retorno?

A importação é uma área um tanto quanto nebulosa. A burocracia que se vende juntamente com a inércia de grande parte dos profissionais da área faz que com o gestor não tenha as informações mínimas necessárias para criar indicadores de performance confiáveis e que possam ser monitorados com o intuito de melhoria contínua.

É incrível verificar o grau de desconhecimento, por exemplo, tanto do profissional quanto do gestor, quando o assunto é custo de importação. Infelizmente temos uma cultura de aceitar grande parte do que nos vendem e em nossa área nos vendem burocracia para que no final o importador sempre pague as contas.

Em uma pesquisa informal (realizada com nossos clientes em prospecção), descobrimos oportunidades de redução de custo com a importação em até 80%. Boa parte disso sendo tributário e outra logística.

Um bom profissional ou um bom investimento seria aquele que pudesse trazer esse tipo de oportunidade para a empresa, gerando valor à operação e garantindo vantagem competitiva perante seus concorrentes.

Um bom controle das operações de importação, com análises logísticas pontuais faz com que as empresas tenham mais controle sobre as suas contas e os seus investimentos, permitindo uma análise mais apurada da eficiência de cada ação e dos resultados de cada investimento.

 

4. Foque no relacionamento com o fornecedor

Investir no relacionamento com o fornecedor costuma ser uma jogada de negócio muito eficaz para qualquer empresa. Quando as empresas investem no relacionamento focando em objetivos comuns, normalmente há ganho adicional para ambas as partes.

Uma maneira de trabalhar em conjunto com o seu fornecedor é indicando uma programação de compra que possibilita a ele uma negociação melhor no preço da matéria-prima e também para se preparar para o momento mais adequado para a produção.

Negocie preços baseado no bom senso. Estabeleça limites que possibilitem que ambos saiam ganhando na negociação. Sempre que possível indique ao fornecedor dados do mercado e tendências. Compartilhe novos produtos demandados pelo mercado. Aproxime-se de seu fornecedor. Torne o contato mais humano.

Em muitos casos, um bom relacionamento com o fornecedor pode funcionar como uma estratégia poderosa de importação. Não tenha medo de compartilhar informações com aqueles fornecedores que sua empresa já tem um relacionamento mais maduro e de longo prazo. Você pode se surpreender com os resultados que essa postura pode trazer.

 

5. Eleja prestadores de serviços que agreguem valor à operação

Uma importação é feita de várias fases e vários elos logísticos (prestadores de serviço) que tornam possível que uma carga saia do local do exportador e seja entregue no local do importador.

Para que a cadeia logística internacional funcione muito bem, cumprindo requisitos mínimos de tempo, custo e qualidade de serviço, é preciso que todos os elos estejam bem alinhados. Como já dizia algum sábio, a cadeia logística será tão forte quanto o seu elo mais fraco.

A escolha dos parceiros logísticos, como agente de carga, transportadora nacional, armazém entre outros é um ponto essencial no sucesso de uma importação. Ao contratar qualquer prestador de serviço leve em consideração a estrutura, referências comerciais, o nível de serviço, os canais de comunicação do operacional e ao portfólio de soluções ofertadas.

 

Reduzir custos com a importação direta

No momento atual, o sucesso das organizações estará diretamente ligada à redução de custos, além da melhor utilização dos recursos humanos e financeiros que estão cada vez mais escassos.

Fica clara a importância da importação como uma ferramenta que possibilita além do aumento da base de fornecedores, do acesso a novas tecnologias e da compra de produtos sem a necessidade de investimento em ativo, também a possibilidade de reduções de custo comparado à compra no mercado interno.

Em muitos casos, os gestores podem enfrentar uma certa resistência por parte da equipe interna de importação quanto à proposta de mudanças nos processos.

Por isso, é importante deixar claro aos colaboradores que essas transformações objetivam não apenas reduzir custos, mas também melhorar a satisfação e a retenção de clientes, ampliar as margens de lucro e aumentar as vendas.

 

Questione, aja e conquiste.

 

Quer saber mais sobre importação e exportação ou de que forma podemos te ajudar? Entre em contato conosco.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat