Desenvolvimento de fornecedor na importação

Para que uma empresa tenha um bom desempenho no mercado, tem que partir de uma base de fornecedores competitivos. Confira nossas dicas para o bom desenvolvimento de fornecedores na importação.

Toda empresa que vence no mercado sabe que o sucesso das suas operações começam com uma compra bem realizada. Como já diz um velho ditado “a cadeia de produção será tão forte quanto o seu elo mais fraco”. Isto quer dizer que para as empresas atingirem suas metas e objetivos, precisam estar inseridas em cadeias produtivas competitivas. Se um fornecedor não tiver um preço competitivo, por exemplo, contaminará toda a cadeia produtiva.

O mercado interno brasileiro não é autossuficiente, o que significa que ainda é bem dependente de fornecedores de terceiros países. Nesse sentido, as empresas por muitas vezes se vêem obrigadas a buscar matéria-prima, produtos intermediários e componentes no exterior.

O que poucas empresas sabem é o que envolve essa operação de busca, controle e operacionalização de fornecedores estrangeiros. Nesse post indicadores alguns pontos fundamentais para ao bom e seguro desenvolvimento de fornecedores na importação.

Pronto para descobrir um pouco mais sobre como desenvolver fornecedores, e extrair o melhor das suas parcerias? Então continue conosco.

Parte inferior do formulário

5 passos para um bom desenvolvimento de fornecedores

 

  1. Faça uma boa seleção (novos fornecedores)

Quem acompanha o blog, sabe que já demos dicas de como importar diversos produtos, desde vinho até máscaras descartáveis.

Uma resposta válida para qual produto mais rentável vai depender da sua necessidade e situação.

Assim, suponhamos que a discussão sobre qual produto escolhido já foi feita.

*Uma dica preciosa para aqueles que têm um ou mais fornecedores internacionais já desenvolvidos: consulte o portfólio dos seus parceiros, é bem comum, sobretudo no caso de empresas chinesas que seu ramo de atuação seja bem amplo, muitas vezes cobrindo o novo produto em desenvolvimento.

Por consequência um pedido de mais produtos melhoraria o poder de barganha com o fornecedor e de quebra melhoraria a diluição de custos, numa consolidação de carga, porém nessa configuração seria uma consolidação de pedido.

Após a seleção de alguns fornecedores da sua base de dados, é o momento da cotação com o fornecedor. Note a importância de uma descrição precisa do seu produto na solicitação, se possível com foto do produto que deseja ou do anúncio.

O tempo e qualidade de resposta são um indicativo interessante sobre a abertura do fornecedor e seu comprometimento com uma parceria. Em momentos futuros, cotações rápidas serão especialmente importantes em tomadas de decisões.

Além da cotação, é conveniente que se verifique outros dois pontos imediatamente, antes de iniciar negociações de preço e condições de pagamento:

Ano de fundação e estrutura física: Tais informações demonstram o porte da empresa e a tradição no mercado.

Para se certificar é interessante utilizar o Google maps na visualização street view em regiões onde o dispositivo está disponível.

Feiras: Um estudo sobre as feiras e eventos internacionais que a empresa participa é um indicativo muito forte da confiabilidade da empresa.

Isso indica a importância dada ao mercado interno, mas sobretudo facilita um contato direto com um dos membros da equipe.

A presença em feiras no Brasil, podem indicar que já consideram o mercado uma importante fonte de demanda, ou ainda melhor, estão buscando parceiros para abrir o mercado brasileiro.

Certificações: Empresas que os possuem, fazem questão de mostrar, pois são garantidores da sua qualidade. Verificar se a empresa possui certificações de qualidade quanto à empresa e produtos é um caminho oportuno na investigação.

Certificações de produtos válidos para outros mercados como Estados Unidos e União Europeia poderão ser um ótimo indicativo.

Levando em conta tais informações, em conjunto com as dicas do post sobre uma importação mais segura, podemos seguir para o próximo ponto.

 

  1. Dimensione seu fornecedor

Lembremos que falar em uma cadeia de produção eficiente, não significa falar apenas de redução de custos.

Ainda que o tema seja tema central de decisões estratégicas, um fornecedor internacional deve fornecer também prazo e qualidade.

Assim, um bom desenvolvimento de fornecedores não necessariamente significa o mais barato. A busca deve ser pelo fornecedor mais adequado.

Os seguintes pontos devem te ajudar nessa decisão:

Capacidade de produção: demonstra o porte da empresa e capacidade de atendimento de sua demanda.

Isso responde a duas perguntas em extremidades distintas: o fornecedor consegue suprir minha demanda? e enfim, minha demanda é suficiente?

Valor mínimo de pedido: todos os fornecedores possuem uma quantidade mínima solicitada pelos fabricantes para poder dar início na fabricação e distribuição de seus produtos.

O termo utilizado em inglês para o valor mínimo é MOQ (minimum order quantity). Em geral, o ideal é sua demanda não esteja muito próxima deste valor, para que possa buscar negociar valores menores na origem.

Localidade (cidade e estado): Uma boa previsão de custos logísticos passa por uma visualização do percurso. Dessa maneira tanto a sua localização quanto a do fornecedor são necessárias para encontrar a melhor opção de itinerário e transporte.

Mercados principais de exportação: Existe na engenharia um estigma que diz: “os engenheiros de países mais ricos criam os produtos, e os nossos adaptam para nossas condições”. Realidade ou não, avaliar a necessidade de adequações é conveniente.

Mais do que isso, saber se o fornecedor já exporta para o Brasil pode te fornecer informações valiosas, como saber se o fornecedor conhece o mercado e legislação brasileira.

Por outro lado, ter um fornecedor que te fornece exclusivamente no mercado, não só pode aumentar a confiança na comunicação, como diferenciar sua empresa das demais em preço e qualidade.

Prazo de produção Em nosso recente post sobre lote econômico, abordamos o tal do lead time, ou o prazo de produção.

Assim como a localização define prazo, o período de produção também é condição determinante para visualização do tempo total do pedido à entrega na fábrica.

Prazos longos de produção demandarão um maior fluxo de caixa do importador, pois grande parte dos custos de importação são antecipados.

 

  1. Qualifique o potencial de cada fornecedor

Ter uma planilha de controle é fundamental. Provavelmente, para cada item novo, seja necessárias ao menos três cotações.

Parece um número ínfimo, três fornecedores para acompanhar por email, mas considere as informações acima multiplicadas por três: localização, prazo de produção, valor de cotação, pedido mínimo, Anna, Jack ou seria John?

Contando apenas as informações acima, são 15 números e nomes para se lembrar. Acredite, um controle vai te salvar muito tempo.

Em conjunto com o processamento das informações anteriores, reserve especial atenção aos seguintes pontos:

Tipo de negócio (fabricante ou Trading Company): De maneira geral, fabricantes são mais confiáveis em termos de padronização de produtos e normalmente apresentam melhores cotações.

Tradings conseguem oferecer uma gama maior de produtos e quantidade mínima de pedido menor, porém não conhecem o produto tão bem quanto o próprio fabricante.

Assim um contato direto com o fornecedor facilita a comunicação técnica, e oferece em geral condições melhores de negociação.

Tipos de pagamentos aceitos: sobretudo para quem fará seus primeiros processos, flexibilidade na forma de recebimento do pagamento das mercadorias que pode ser um atrativo para muitas operações de comércio internacional.

Assim, a avaliação sobre qual o fornecedor ideal não deve ser muito difícil. A avaliação dos pontos acima em conjunto com um embarque de amostras deve te apontar em termos de preço, pontualidade e qualidade qual a melhor opção.

Neste ponto já temos informações suficientes para dar sequência. Qual será o nível de transparência entre as empresas, qual melhor rotas e opções de pagamento e prazo de produção, qualidade, catálogo, visibilidade, entre outras questões envolvidas.

Tudo conflui para a satisfação do seu consumidor, o objetivo central do projeto.

 

  1. Valide o lote

A validação é a confirmação de todas as informações coletadas até agora. Se elas correspondem a realidade, os resultados tendem a ser muito positivos.

Cada produto vai apresentar um nível de dificuldade de adequação maior ou menor.

Parafusos, rolamentos e demais itens comuns em qualquer indústria tendem a não precisar de adaptações se fornecidas descrições precisas para cotação.

Outros itens mais específicos, algumas vezes precisam de mais paciência até que tenham as mesmas características do seu fornecedor anterior, ou no caso de novos projetos, novamente um bom desenvolvimento joga a seu favor.

É comum que as empresas já tenham definido uma sequência de teste para a introdução de novos produtos a sua linha de produção. Mas em geral, percebemos determinados testes:

Alguns dos principais testes realizados com o lote são:

  • Teste de durabilidade;
  • Exposição ao ambiente;
  • Conformidade;
  • Desempenho em uma linha de produção.

Aqui, a conformidade é o principal diferencial para com os testes das amostras. Pode-se comparar uma quantidade significativa de produtos e averiguar se performam de maneira semelhante.

Não é incomum que haja diferenças de qualidade entre um lote e outro, ou ainda do mesmo lote. Então muita atenção.

Para um processo extremamente seguro, pedidos graduais são uma ótima opção, demos um exemplo prático no post sobre maior segurança na importação.

 

  1. Replicação de embarques e prevenções

O primeiro embarque correu perfeitamente, dessa maneira, de agora em diante devo apenas replicar o anterior, certo? Errado.

Bem, em partes. Óbvio que toda operação gera um know how muito importante, mas diversos aspectos do primeiro embarque podem mudar no segundo.

Por nossa experiência, alguns fatores podem gerar grande diferença como: parametrização, variação do dólar, demanda e prazo de produção, aumento em valores de frete, despacho, entre outros fatores.

Ter uma equipe com conhecimento em comércio ou um parceiro para cuidar do projeto da importação é urgente.

Um simples erro na classificação fiscal, que passou em canal verde na primeira operação pode gerar altos custos em armazenagem.

Em suma, a expertise se ganha com o tempo, e quanto mais pontos de segurança no processo, melhor. E assim como a expertise, a confiança nos elos do processo: fornecedores, agentes, tradings tendem a aumentar com o tempo.

O desenvolvimento de fornecedor é, portanto, uma tarefa constante e a longo prazo que quando bem trabalhada traz diversas vantagens, como:

  • Maior transparência,
  • Aumento de colaboração de ambas as partes,
  • Qualidade, manufatura e novos projetos garantidos,
  • Melhor tempo de resposta,
  • Aumento na satisfação dos consumidores.

Agora que já sabe mais sobre como desenvolver fornecedores, que tal dar uma olhada em mais posts relevantes no nosso blog? Ou ainda consultar nossa equipe para iniciar um novo projeto?

 

10 dicas para desenvolvimento fornecedor na importação

Abaixo listamos 10 dicas para o desenvolvimento de fornecedor na importação.

1)      Relatórios internacionais (Business Credit Report) – o importador tem a sua disposição a opção de solicitar à uma empresa internacional, como SGS e Serasa Experian, relatórios financeiros que detalham a saúde financeira dos potenciais fornecedores, assim como informações sobre a estrutura física e hierárquica da empresa;

2)      Poder de barganha utilize a sua demanda como um poder der barganha para conseguir condições melhores de compra. Sinalize um planejamento anual de compras, indicando uma programação de médio e longo prazo;

3)      Inspeção pré-embarque – para garantir a qualidade e quantidade dos produtos embarcados, utilize o serviço de inspeção pré-embarque que pode ser feito por empresa internacional ou agente de compra no mercado fornecedor. É um investimento relativamente baixo perto da segurança que traz para a operação;

4)      Referências comerciais – solicite ao potencial fornecedor as referências comerciais de outros clientes no Brasil ou no exterior. Tendo a oportunidade, entre em contato com essas empresas para confirmar as informações sobre o fornecedor;

5)      Missões comerciais – associações de classe e até mesmo órgãos do governo brasileiro ou do país do fornecedor oferecem missões comerciais que visam gerar novos negócios. O investimento pode ter um bom custo x benefício;

10 dicas para desenvolvimento de fornecedor na importação ibsolutions

6)      Informações através de órgãos governamentais na origem – há alguns países no exterior que estimulam a internacionalização de suas empresas, oferecendo informações sobre seus produtos. Utilize esses serviços, que normalmente são gratuitos, para levantar potenciais fornecedores ou para confirmar informações de empresas que já esteja em negociação;

7)      Visita às instalações do importador – quando possível, traga os potenciais fornecedores até sua empresa para que conheçam sua estrutura e condições de trabalho. Essa pode ser uma grande oportunidade para desenvolver parcerias;

8)      Embarque de amostras e lote piloto – para que tenha a certeza sobre a qualidade dos produtos que está negociando, traga amostras ou embarques pilotos menores, antes de partir para lotes maiores;

9)      Confirmação de informações coletadas na internet – não confie 100% nas informações coletadas na internet. Há muitas empresas fantasmas. Sempre que possível, utilize o serviço de alguma empresa ou agente de compras no país de origem para confirmar as informações sobre o potencial fornecedor;

10)   Visita de agente no país de origem – uma ferramenta que pode minimizar os riscos é a visita de um agente de compra ao local do fabricante para negociação das condições da importação, acompanhamento da produção, repasse do pagamento e embarque. Esse pode ser um grande custo x benefício.

Não necessariamente deverão ser utilizadas todas as ferramentas acima, mas sempre que possível utilize uma ou duas delas que já trará maior segurança ao processo de desenvolvimento de fornecedor.

É necessário também que o importador faça uma ponderação sobre o custo x benefício da operação.

Quer saber como aplicar os conceitos citados acima em seu projeto de importação? Através de nossas ferramentas podemos oferecer soluções para o desenvolvimento de fornecedores de referência no exterior.

.

Questione, aja e conquiste.

 

Quer saber mais sobre importação e exportação ou de que forma podemos te ajudar? Entre em contato conosco.

 

Os comentários estão encerrados.

WhatsApp chat